domingo, 27 de fevereiro de 2011

ORIGINAL POLICIAL FEMININA É DEIXADA NUA NA DELEGACIA E PRESA

Veja o vídeo na íntegra e tire suas conclusões!

video

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ultra Seven - no Baú du Robs!

Quantas lembranças, Pô, como eu gostava desse herói!!!
Para mim e para muitos, o melhor seriado de todos dos heróis japoneses! Quando poucos ainda desdenhavam de ficções científicas, Ultra Seven era pioneiro!


Se fosse feito um levantamento sobre qual o super-herói mais cultuado do Japão, Ultra Seven seria um forte candidato ao posto de número um. Exibido no Brasil até o início dos anos 80 na TV Record, a saga de Ultra Seven marcou época, até mais do que seu antecessor Ultraman. Sucesso de público e crítica quando exibido entre 1967 e 68, a série é até hoje lembrada como uma das mais importantes obras de ficção científica do Japão.

O guardião da Terra

Poderoso guerreiro vindo do planeta Ultra, na Nebulosa M-78, Ultra Seven chega para cumprir uma temporada de missões da defesa da Terra contra invasores espaciais. Diferente da maioria dos Ultras, que oculta sua forma em um corpo humano hospedeiro, Ultra Seven optou se disfarçar, aprendendo assim a conviver com pessoas comuns. Ao chegar, ele se disfarça baseado nas feições de Jiro, um valente alpinista cuja vida ele presenciou arriscar para salvar um amigo. Assumindo o nome de Dan Moroboshi, ele é recrutado para a força de elite do Esquadrão Ultra após ajudar o grupo em uma missão. Assim, passa a agir ao lado dos oficiais Furuhashi, Amagi, Soga e Anne, todos sob o comando do Capitão Kiriyama. Em sua base subterrânea, o Esquadrão conta com uma equipe de 300 homens e diversos veículos especiais, com destaque para os caças Gavião Ultra 1 (divisível nos módulos Alpha, Beta e Super Gama), Gavião Ultra 2 e 3.


Sempre que necessário, Dan coloca o visor energético Ultra-Olho e transforma-se para entrar em ação. Como os demais habitantes do planeta Ultra, absorve energia da estrela mais próxima e tem um tempo de ação reduzido graças ao fraco sol da Terra. Com 40 metros de altura, capaz de disparar raios de seus braços e da gema em sua testa, voar, cruzar dimensões, reduzir-se a tamanhos microscópicos e armado com um poderoso bumerangue alojado em sua cabeça, ele é um dos mais poderosos de sua raça. Quando impossibilitado de se transformar, Dan recorre às Cápsulas-Monstro, que invocam poderosas criaturas auxiliares.

Ao longo de várias missões, ele enfrenta ameaças como os alienígenas Pitt e seu monstro Eleking, o robô King Joe e até mesmo uma cópia cibernética. Em uma aventura antológica, Seven é analisado pelos alienígenas Gutts, que preparam um plano para esgotar a energia do herói. Derrotado, é preso numa cruz de cristal e exibido como troféu para forçar a rendição da humanidade. Desta vez, coube ao Esquadrão Ultra salvar o herói.


Alertado para não viver na Terra por um tempo muito longo, Ultra Seven retorna a M-78 com grande esforço, após impedir uma grande invasão espacial dos alienígenas Ghost que atacam com o monstro Pandon. Antes, revela sua identidade a Anne em uma cena inesquecível e dramática. No entanto, a ligação do herói com a Terra estava longe de terminar.

DEPOIS DA SÉRIE CLÁSSICA

Após sua partida, Ultra Seven apareceria diversas vezes nas séries Ultra seguintes. Ele salvou o segundo Ultraman (série O regresso de Ultraman, de 1971) duas vezes e lhe entregou a arma Ultra-Bracelete. Depois, auxiliou Ultraman Ace (série de 1972) e Ultraman Taro (1973) em várias ocasiões, sozinho ou na companhia dos Irmãos Ultra.


Todavia, quando veio à Terra enfrentar o ataque do alienígena Magma e seus monstros, Seven foi ferido, tendo sua perna quebrada e o Ultra-Olho danificado, ficando sem poder se transformar. Preso à Terra, Dan lidera o grupo MAC (Monster Attacking Crew) e torna-se o mentor de Gen Ootori, o Ultraman Leo (em série homônima de 1974). Vindo da nebulosa L-77 e um dos últimos de sua raça, Leo é sempre auxiliado e orientado por Dan que, mesmo sem poder se transformar, ainda conserva grandes poderes mentais. A série de Leo ainda renderia um encontro antológico de Dan com Hideki Goh, o segundo Ultraman, que viria à Terra entregar um novo monstro auxiliar para o amigo e levar o Ultra Olho para ser reparado em M-78. Em outro episódio, Dan se reencontra com a antiga paixão Anne, mas o episódio acaba não levando a nada, para desânimo dos fãs. Perto do final da série e após a destruição da equipe MAC por um inimigo, Dan recobra seus poderes e retorna a M-78. Aquele seria, por um bom tempo, o final das missões de Ultra Seven na Terra.

CURIOSIDADES

O mais ambicioso projeto televisivo do mestre dos efeitos especiais Eiji Tsuburaya tinha uma temática mais adulta do que Ultraman. A ação em muitos casos dava lugar ao suspense e ao drama. A audiência não foi tão alta quanto a de seu antecessor, mas a série caiu no gosto popular com seu design arrojado e histórias elaboradas.
O episódio 12, que mostrava alienígenas que sugavam sangue por meio de relógios alterados foi banido da cronologia. Na trama, as crianças viram o alvo principal por terem sangue mais limpo e livre de poluentes e radiação. Por tocar na questão do envenenamento radiativo pouco mais de 20 anos após as explosões atômicas em Hiroshima e Nagasaki, houve pressões dos executivos da emissora TBS e o episódio foi banido, nunca sendo reprisado e tendo sido até excluído da cronologia oficial, ficando de fora da coleção em vídeo e DVD. No Brasil e nos EUA, o episódio foi exibido sem problemas.
Tamanho o fascínio que Ultra Seven exerce até hoje gerou muitas homenagens em séries de mangá e animê, sendo uma das mais famosas o capacete da heroína Chi Chi (leia Titi), de Dragon Ball, que reproduz poderes de Ultra Seven. A série ainda introduziu o conceito de monstros de batalha transportados em pequenas cápsulas, idéia reaproveitada no mega-sucesso Pokémon.




O ator mais recorrente de todas as produções da linhagem Ultra, o canastrão simpático Koji Moritsugu nasceu em 15 de março de 1943 e era modelo até ser escalado para o elenco de Ultra Seven. Acumulou pequenas participações nas séries O regresso de Ultraman (1971) e Ultraman Taro (1973). A volta triunfal de Dan Moroboshi como personagem regular em Ultraman Leo (1974) aconteceu por sugestão do próprio ator. Convidado para ser o capitão do grupo que apareceria na série de Leo, Koji sugeriu que, ao invés de viver outra personagem, poderia interpretar um amadurecido Dan Moroboshi. E assim foi feito, aumentando o interesse do público sobre essa série que, apesar do visual trash da época, tinha uma carga de violência e drama que extrapolava os limites do que seria uma produção infantil. Em 1997, interpretou o capitão Ban, no segundo especial de cinema de Ultraman Zearth. Sem ter feito grande carreira dramática, continuou aparecendo como Dan Moroboshi até 1999. Atuando em teatro e participando de convenções pelo Japão, o eterno herói ainda administra com a esposa um pequeno jazz bar chamado Jolie Chapeau, decorado, é claro, com temas alusivos a Ultra Seven.





No elenco, outra que vinha da carreira de modelo era a bela Yuriko Hishimi, a Anne, que, antes da série, havia conquistado um concurso de beleza em Tóquio. Depois, a atriz atuou em diversos filmes eróticos e protagonizou ousados ensaios fotográficos. Hoje uma senhora de 55 anos, ainda participa de convenções onde capitaliza a popularidade de uma personagem que ela mesma já declarou lembrar pouco.
Cult absoluto até hoje, Ultra Seven ganhou documentários e até um drama para TV que contava de maneira romanceada os bastidores da série clássica. No entanto, a popularidade do herói e de seu alter ego humano não é medida apenas por homenagens. Cerca de vinte anos depois da série Ultraman Leo, Koji Moritsugu reviveu o papel de Dan Moroboshi em uma série de episódios especiais nos anos 90.

Ficha técnica

Estréia no Japão: 01/10/1967
Número de episódios: 49
Criação: Eiji Tsuburaya (coordenador)
Roteiro: Tetsuo Kinjoh, Shozo Uehara e outros
Trilha sonora: Tohru Fuyuki
Direção: Hajime Tsuburaya, Shohei Tojo, Kazuho Mitsuta e outros
Supervisão editorial: Eiji Tsuburaya
Produção: Tsuburaya Productions & TBS
Emissoras no Brasil: Tupi, Record
Elenco: Koji Moritsugu (Dan Moroboshi), Yuriko Hishimi (Anne), Shoji Nakayama (Cap. Kiriyama), Sandayu Dokumamushi (Furuhashi), Toshi Furuya (Amagi), Shinsuke Ashiba (Soga), Akihiko Hirata (Cel. Yanagawa), Nankoh (Cap. Kurata), Koji Uenishi (Ultra Seven - dublê principal)

ABERTURA BRASIL:




Fonte Site : Omelete 

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Quem olha pra sua bunda?!

Um vídeo que está fazendo sucesso na internet apresenta flagras de olhares indiscretos para o bumbum de uma jovem que colocou uma câmera escondida nas costas. A ideia de duas garotas era saber o que acontece atrás das pessoas quando se caminha nas ruas.
Por isso, elas saíram pelas ruas de Los Angeles, nos Estados Unidos para realizar a experiência. O resultado é que os homens, em maioria, olharam para o bumbum da jovem no vídeo. Mas, para a surpresa delas, mulheres também olharam para as curvas da menina.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dica para as mulheres

Mulheres e meninas que acessam esse blog.

Sei que vcs curtem fazer compras, toda mulher curte,principalmente bolsas não é?

Se vcs querem bolsas de qualidade, com preços justos e o melhor, com exclusividade (Vcs não vão encontrar em outro lugar, são exclusivas mesmo!), vcs precisam acessar e conhecer o blog SIAMESAS .



Tudo de primeira qualidade. E esse post não é uma propaganda, é uma boa dica mesmo, pois garanto a idoneidade! O Blog pertence a minha querida e amada prima Andressa!.

Não percam tempo, acessem e boas compras!! CLIQUEM AQUI  para conhecer.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Aves e árvores

Há momentos na vida em que somos pássaros. Queremos voar, mas nossas asas são curtas e não nos permitem chegar além do horizonte. O que podemos está sempre aquém do que desejamos.


Há momentos na vida em que temos longas asas, podemos alçar extensos voos, mas nossos limites são determinados pelo peso das bagagens que a vida nos dá. São malas que atendem por diversos nomes: bom senso, juízo, medo. Há os que se livram de seu peso, e conseguem voar muito alto. Alguns atingem destinos fantásticos, muitos conhecem o sabor do desastre.

Mas há momentos na vida em que deixamos de voar. É quando nos tornamos árvores, quando nos percebemos enraizados à terra, presos no espaço e no tempo. Não nos damos conta desta mudança, que nos tira as asas e nos empresta galhos e ramos. Apenas descobrimos que somos assim.

Como árvore, podemos crescer apenas para cima – na busca do sol e da luz -, e para baixo, à cata de alimentos e energia. Os dois movimentos se completam, um não é possível sem o outro.

Enquanto crescemos, podemos servir de pouso para os pássaros de asas curtas e longas, aventureiros e comedidos. Muitas vezes emprestamos o abrigo de nossas ramagens para a construção de alguns ninhos.

Mas quando deixamos de procurar a luz, ou desistimos de cavar em busca de energia, paramos de crescer. Mas não há árvores assim. As árvores perseguem seu destino, que é crescer e se alimentar, assim como há pássaros que só buscam voar.

Saber o momento do vôo, ou o instante de se enraizar, é a grande sabedoria humana. Saber viver intensamente o momento de polinizar as flores, ou o momento de deixar ao vento e à chuva que espalhem nossas sementes, eis o destino da vida.

Se você é pássaro, voe em busca de seu sonho. Se você se descobriu árvore, cresça o mais alto que puder, e deixe a terra cuidar de suas sementes.

(Por Alexandre Pelegi)