quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Sentindo

Ainda olho no canto daquele quarto...
Vejo seu corpo quente adormecido...suado...
Sua pele branca como leite, seus cabelos cor de fogo...Tudo faz sentido.
Sentido, sentindo, aceitando...
Aceitando que tudo é nosso, sem nada termos.
Só lembro do arrepio...Só sinto o cheiro...só tenho vc...
Faz sentido? Não faz sentido...
Mais lembranças me veêm a cabeça...Seus lábios carnudos e quentes me dizendo que vc é a mulher pra mim, que vc é minha, que eu sou seu...
Não faz sentido...
Não quero por querer muito.
Eu a tenho, sem te ter.
Sou tão seu que nem sabia.
Nosso "encaixe" é tão justo, tão intenso, tão certo...
Que nosso beijo é único, nossos corpos são só um...nosso tesão é tão imenso...
Desejos, desejos, devaneios e lampejos...
Nem sua cutis, nem seu cabelo de fogo me dizem agora...
Não estou sentindo...
Aguardo a noite chegar, para mais uma vez ver aquele canto...daquele quarto, logo ele iluminará com a luz de seus cabelos...o resto...é, sempre foi e sempre será...consequência...

Um comentário:

Talvez Você Tropece nisso.... disse...

Gosto dos seus poemas, este é um martirio, um martirio de desejos que talvez repelidos ou bem guardados ou quase que estraçalhados para serem guardadosss, mas que naquele lugar explode com a exatidão enexistente dentro da razão....bjos